Finalmente as tão sonhadas férias chegaram (le vacanze sono arrivate) e os europeus começam a preparar as malas (fare le valigie) para se dirigirem ao destino planejado já um ano antes – com muita probabilidade, assim que terminaram as férias do ano anterior. Normalmente, pelo menos aqui na Suíça, visto que começam as férias escolares, a cidade começa a se esvaziar gradualmente, até que chega o mês de agosto e temos a sensação – os que ainda não tiraram férias e quem nem vão tirar – de estarmos em uma cidade fantasma como aquelas cidades do faroeste.

Os suíços em geral vão para as regiões litorâneas, quase sempre da Itália, com certeza porque é mais perto. Considerando as temperaturas frias que temos aqui durante todo o ano, nada melhor do ir se esquentar debaixo de um sol tórrido e de preferência do sul da Itália, onde as temperaturas são elevadíssimas. Estamos em pleno verão e hoje tivemos 13° graus aqui em Zurique.

Na Itália, e também em grande parte da Europa, no mês de agosto principalmente, quase tudo para, pois é o principal mês de férias. Os bares estão fechados, padarias, bancas de jornais, farmácias, os bancos e os correios reduzem o horário de atendimento, até os médicos que atendem nos consultórios tiram férias, enfim, quem ainda está na cidade experimenta uma sensação de solidão profunda, principalmente aqueles que por um motivo ou outro não poderão ir para nenhum lugar. Obviamente, grandes cidades como Roma, Milão, Florença, etc., em função do grande fluxo de turistas, não param e continuam a todo vapor nos bairros centrais, apesar do calor ser realmente excessivo, abafado e úmido.

Uma outra característica das férias são, claro, os engarrafamentos faraônicos que aqueles que viajam de carro devem enfrentar. Nas férias do ano passado, lembro que um trecho que normalmente fazemos em 30 minutos – quando o tráfego está normal – fizemos em três horas! Mas ninguém se aborrece (ma nessuno si arrabbia), porque, afinal, estão todos de férias e isso faz parte da viagem.

Normalmente, os italianos que passam as férias na Itália ou que moram em países como Suíça, Alemanha, Espanha, etc. preferem fazer a viagem sem parar para dormir em um hotel. Quem já viajou pela Itália (ou Europa) de carro se lembrará dos famosos Autogrill onde é possível não somente abastecer, comer e beber alguma coisa, mas principalmente “dormir” dentro do próprio carro. Existem várias vagas de estacionamento (posti auto) onde os viajantes podem estacionar o carro e relaxar um pouco, dormir, esticar as pernas (sgranchire le gambe), pois geralmente as viagens duram até 18 horas! É também muito importante, e todos que viajam de carro escutam, a transmissão radiofônica intitulada “Onda Verde”, gerenciada pelo CCISS (Centro di Coordinamento e informazioni sulla sicurezza stradali) e canais da Radio Rai, que fornecem informações não só sobre o Código da Estrada, mas também sobre meios de transporte, condições do tráfego nacional e visibilidade das estradas italianas (visibilità delle strade itlaiane). A transmissão se dá através de todas as redes radiofônicas a cada uma hora.

Por fim, o aspecto mais importante e o ponto máximo das férias é o dia 15 de agosto, exatamente hoje, em que na Europa se comemora o dia de Ferragosto, o dia de férias por excelência, que coincide coma a festa religiosa da “Assunção de Maria Virgem”. O Ferragosto, na sua origem, era festejado no dia 1° de agosto – tendo a sua data modificada pela Igreja Católica -, mas durava o mês inteiro, pois o primeiro imperador romano Otávio Augusto o estabelecera como as “ferie Augusti”, ou seja, férias em sua hora. Logo, para os europeus, o dia 15 de agosto é o dia típico das férias, isto é, da breve suspensão do trabalho em pleno verão, que se estende, normalmente, nos dias sucessivos, conservando até hoje o seu caráter popular antigo com o uso delle scampagnate (passeios no campo, passar o dia no campo/no mar/montanha), onde as pessoas podem fazer piqueniques, tomar banho de mar, rio, lago. Esse dia também é conhecido como o dia da gorjeta (il giorno delle mance), pois em época romana os trabalhadores facevano gli auguri (faziam votos, davam os parabéns) aos patrões, ganhando em troca uma gorjeta, uso que se enraizou profundamente ao ponto de a Igreja, no Renascimento, instituir como obrigatório. Algumas expressões típicas desse dia: passare/trascorrere il Ferragosto al mare, in montagna, in campagna; auguri di buon Ferragosto!; dare al portiere la mancia di Ferragosto, e por elipse dare o ricevere il ferragosto; eccovi il ferragosto.

Quindi buon Ferragosto a tutti voi, adesso andiamo alla nostra scampagnata.

Buone vacanze!

Receba mais dicas de Italiano como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook. Bons estudos!

ARQUIVO

Página 1 de 212